Direitos e deveres

 

DEVERES DAS ENTIDADES

1. Criar estruturas e condições para receber voluntários

2. Identificar as necessidades de voluntários, definindo o cargo e o perfil;

3. Sensibilizar todas as pessoas da entidade sobre a importância e necessidade de voluntários;

4. Entrevistar os voluntários que se apresentem na entidade, estimulando-os a mencionar quais as suas áreas de preferência (dentro das necessidades da entidade), o horário em que se encontra disponível, as suas motivações e expectativas. O entrevistador deverá mencionar o que se espera dele, quais os resultados que deverão ser atingidos, com quem devera-se relacionar no desempenho das suas funções. Além disso, o entrevistador deverá expor qual é a missão visão e estrutura da entidade;

5. Após selecionado o voluntário, apresentá-lo a todos os funcionários/ dirigentes da entidade para facilitar a integração e um maior conhecimento da entidade e de suas instalações;

6. Preencher o termo de adesão para os voluntários;

7. Definir um período experimental, durante o qual serão esclarecidas dúvidas;

8. Dar oportunidades ao voluntário para que este freqüente diversos cursos de formação e palestras relacionadas com o tema voluntariado, terceiro setor ou mesmo com a sua área de atuação dentro da entidade;

9. Avaliar o trabalho do voluntário será avaliado periodicamente;

10. Reconhecer sempre o trabalho do voluntário para que se sinta estimulado, motivado e valorizado, desempenhando o melhor possível as suas tarefas.

11. Fazer com que a descrição das tarefas seja entendida por todos os voluntários que possuem diferentes graus de cultura e conhecimento;

12. Prever, de forma eficaz, a cobertura dos riscos a que os voluntários estão sujeitos no exercício das suas funções e os prejuízos que estes, involuntariamente, possam provocar a terceiros, no decorrer da sua atividade

 

DIREITOS DAS ENTIDADES

1. Obter uma ficha de inscrição onde conste os dados de identificação do voluntário, assim como as suas motivações ou expectativas;

2. Possuir assinado um termo de adesão por parte do voluntário onde conste a natureza da tarefa a ser desempenhada, horário, local da realização da tarefa e duração da atividade voluntária.

3. Ser informada quando o voluntário faz horas extra às estipuladas inicialmente

4. Ser comunicada quando a tarefa que está a ser executada pelo voluntário não está a corresponder ‘a inicialmente prevista, ou ‘as suas expectativas ou mesmo ainda ‘a sua qualificação ou habilidades.

5. Ser informada acerca de algum desentendimento entre voluntários / funcionários, ou entre voluntários.

6. Ser comunicado por parte do voluntários sempre que este pretenda rescindir temporária ou definitivamente a sua atividade junto à instituição.

7. Ser informada sempre que o voluntário mude de tarefa.

 

VANTAGENS DE UMA ENTIDADE FILIADA AO CONSESP

Troca de experiências;

Uma visão diferente da entidade;

Colaboração espontânea;

Novas idéias;

Condição de existência e sobrevivência;

Fonte de motivação;

Força aliada para o desenvolvimento de todos os projetos que a entidade desenvolve.

 

PROCESSO DE FILIAÇÃO AO CONSESP

Clique aqui para baixar o formulário de filiação ao CONSESP. 

Após preencher o formulário nos envie por e-mail ou correio

 

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

Rua João Antonio Xavier, 730

CEP 80620-360

Curitiba-PR

 

Reuniões

com as Entidades Sociais Filiadas.
Nas segundas sextas-feiras de cada mês. Início às 14h00
Local: Av. Sen. Luiz Xavier, 103 - 5º andar
espaço cedido UNINTER- Garcez


A Pauta das Reuniões estará em nosso site, na semana que antecede. Obrigado!!